Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Ações Extensionistas

Área do conteúdo

Projeto – Análise de Enfermidades e Produtos da Aquicultura e Pesca por meio de Métodos Moleculares e Histopatológico

Projeto - Análise de Enfermidades e Produtos da Aquicultura e Pesca por meio de Métodos Moleculares e Histopatológico

Projeto – Análise de Enfermidades e Produtos da Aquicultura e Pesca por meio de Métodos Moleculares e Histopatológico

Código: CP.2016.PJ.0318

Nome Completo do(a) Coordenador(a): Rodrigo Maggioni [maggioni@ufc.br], Instituto de Ciências do Mar / Instituto de Ciências do Mar (Labomar)

Coordenadoria Setorial PREX vinculada à Ação: Coordenadoria de Extensão do Campus do Pici

Data de Início das Atividades da Ação: 01/01/2017

Modalidade: Projeto

 

Instituições Parceiras Nacionais: UECE, UFERSA

Área Temática Principal: Tecnologia e Produção

Linha de Extensão: Pesca e Aquicultura

Descrição Sintética da Ação:

No Brasil a Região Nordeste é a principal produtora de camarão marinho cultivado, com 93,1% da produção nacional. Apesar do impulso promissor promovido pela chegada do camarão branco do Pacífico Litopenaeus vannamei no final da década de 1990, foi observada, a partir de 2004, a redução da atividade de carcinicultura diretamente associada ao intenso surgimento de epizootias. Picos epidemiológicos ocasionados principalmente pelos vírus da Mionecrose Infecciosa (IMNV) e Síndrome da Mancha Branca causaram perdas devastadoras nas fazendas de camarão nacionais. Apesar da redução drástica das exportações, que se seguiu aos surtos de 2004, a certificação da carcinicultura de acordo com as normas internacionais é uma meta importante no futuro próximo. Em termos da produção nacional de camarão, os estados do CE e RN ocupam postos de destaque, sendo responsáveis por mais de 50% de toda a produção nacional. Esta liderança é atribuída à presença de condições ambientais e recursos naturais, tais como grandes áreas estuarinas propícias para o desenvolvimento de camarões, em todas suas fases. Neste contexto, o Centro de Diagnóstico de Enfermidades de Organismos Aquáticos (CEDECAM), do Instituto de Ciências do Mar (LABOMAR), da Universidade Federal do Ceará (UFC) atua desde 1992, realizando pesquisa sobre as principais enfermidades que acometem os camarões em ambiente natural e de cultivo. O grupo desde então esteve envolvido no suporte ao setor da carcinicultura, seja desenvolvendo pesquisa, seja acompanhando o desenvolvimento dos surtos que acometem o setor, seja formando alguns dos principais profissionais que atuam na área da patologia de camarões em nível nacional. O grupo atua hoje também no acompanhamento de enfermidades que acometem a malacocultura e a piscicultura e desenvolve uma linha de genética molecular aplicada à pesca e aquicultura. O trabalho do grupo e de sua fundadora foi reconhecido em 2010 com premiação conferida pela Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC) à Profa. Dra. Cristina Gesteira pela significativa contribuição para o desenvolvimento do setor. Sediado fisicamente no LABOMAR, o CEDECAM dispõe hoje de um laboratório de histopatologia, uma unidade de bioensaios e de um laboratório de genética molecular que inclui, por sua vez uma unidade de genotipagem e sequenciamento de DNA. A partir da revolução biotecnológica iniciada com a era genômica, o CEDECAM vem se transformando e incorporando novas metodologias para o estudo, a análise e o controle de patologias. A presente proposta visa disponibilizar ao setor da aquicultura e pesca estes avanços por meio de pesquisa em campo, treinamentos, acompanhamento e suporte laboratorial, contribuindo ao mesmo tempo para a formação de pessoal técnico altamente qualificado em nível de graduação e pós-graduação.

Público-Alvo: Produtores de camarão dos estados do Ceará e Rio Grande do Norte, incluindo fazendas de engorda, laboratórios de produção de pós-larvas, indústrias de ração e outros. Produtores da malacocultura e piscicultura. Setor público ligado à supervisão e controle de produtos da pesca e aquicultura. Técnicos e estudantes ligados ao setor, incluindo engenheiros de pesca, técnicos em aquicultura, alunos de instituições federais, estaduais e municipais, e outros. Estudantes dos cursos de graduação e pós-graduação da UFC.

Estimativa média de Público atendido por mês: 10

Link (site, blog, página no Facebook): www.cedecam.labomar.ufc.br

Cursos de Graduação vinculados: Engenharia de Pesca, Oceanografia

Cursos de Pós-graduação vinculados: Engenharia de Pesca, Ciências Marinhas Tropicais

Endereço: Centro de Diagnóstico de Enfermidades de Organismos Aquáticos – CEDECAM/UFC
Av. Abolição 3207
Fortaleza
CEP: 60165-081, Fortaleza/CE

Representante: Rodrigo Maggioni [maggioni@ufc.br]

 

Acessar Ir para o topo